Problema de seleção: toda opinião é relativa e conveniente

Fala sério, o que concluímos ou opinamos sobre qualquer coisa, dos rolézinhos a copa do mundo, sobre sustentabilidade, projetos em waterfall ou princípios e métodos ágeis … tudo é relativo e conveniente. Não tem como ser diferente, mas é bom entendermos e sermos éticos em relação a isso.

Relativo – É algo que denota algum tipo de relação, faz referência a algo ou alguém, sem ser absoluto. Todo conhecimento humano é relativo.

Conveniente – É algo que convém e é apropriado, se desenvolve adequadamente e alcança resultados úteis, em conformidade com as circunstâncias.

A relatividade e conveniência de nossa opinião é inerente as nossas paixões e background, está certo, isso só é ruim se vier junto com fanatismo ou falsidade. Tem gente que acha que a sua verdade é única e verdadeira ou, ainda pior, tem gente aética com discurso completamente descolado da prática.

Fanatismo – Defender algo de forma irracional e persistente, assumindo traços agressivos, estreitos, preconceituosos, relativizando valores e limites.

Falsidade – Em essência, é a mentira, omissão, engano para tirar vantagem de sua posição, obter lucro ou ascensão social pelo oportunismo.

No geral, ter 100% de isenção e profundidade exigiria pleno conhecimento, vivência, visão, que nem os maiores gênios, gurus e supercomputadores tem. O mais importante é lembrar sempre disso, nossas opiniões são limitadas às nossa crenças, experiências, interesses, e os outros tem direito às deles. \o/

dalai

Na ciência chamam isso de “Problema de seleção”, onde o termo “problema” não tem conotação pejorativa, apenas indica uma situação que exige tomada de posição, via de regra não está certo ou errado, apenas precisa ficar claro sob que critérios e fundamentos estamos nos posicionando.

Auto-conhecimento é fundamental para o convívio social, por isso o campo de conhecimento das ciências sociais usa muitas teorias da psicologia e sociologia. Descobri uma que ajuda a entender o porque toda opinião, estudo ou conclusão advém de um raciocínio de natureza relativa e conveniente, a ANT.

ANT (Actor Network Theory) vem da sociologia e vê como atores não só as pessoas em sua linguagem verbal e não verbal, mas também sua cultura, ação social, objetos, organizações, história, …

Cada um destes possíveis atores são elementos e conexões de uma complexa rede, heterogênea, parte social e parte técnica. Pesquisas, estudos ou simples opiniões tem sempre a prévia tarefa (consciente ou inconsciente) de selecionar os atores que consideraremos. Isto é o “problema de seleção”.

A teoria não sugere hierarquia ou mapa de atores para a rede, posto que esta percepção é relativa e conveniente ao objeto do estudo ou análise, qualquer dos atores (pessoa, objeto ou organização) pode vir a ser de suma importância, apenas um coadjuvante ou completamente desnecessário naquele momento.

Métodos Ágeis

Garanto que tudo isso tem tudo a ver com Métodos Ágeis e com o sucesso ou fracasso de sua implementação. O famoso “problema de seleção” é a garantia de que tudo é relativo, por isso mesmo a união de todos, em seus diferentes perfis e backgrounds, é o princípio que garante a percepção antecipada e tomada de posição frente a oportunidades e riscos, algo que individualmente é mais difícil.

Cotidianamente, para nos posicionarmos sobre algo ou alguém, devemos ter a melhor seleção possível de informações e atores – pessoas, organizações,  fatos, objetos, hipóteses, conhecimentos e vivências. Sobretudo, acertando ou errando na seleção ou na profundidade, devemos sempre ser flexíveis, adaptativos e humildes para aprender com as nossas experiências.

Eis o porque do primeiro pilar do Scrum ser a transparência, pois não existe inspeção e adaptação lógica provenientes de omissão ou falsidade. Passamos a vida operando “problemas de seleção”, o que os princípios ágeis propõem é que sejamos mais honestos com nós mesmos e com quem interagimos, isto não garante o sucesso, mas garante o conhecimento e aprendizado a cada sucesso ou fracasso.

Moral da história: Temos que entender o contexto e a seleção, não só a nossa, mas a dos outros envolvidos, senão cada um estará olhando para um lado e só vão descobrir esta diferença quando for tarde demais … dá uma olhada no quadrinho a seguir … para bom entendedor uma tirinha basta! \o/

Bom 2014 a todos!

problema de seleção

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s