CHAx5 como baliza para a articulação iterativo-incremental

Em 3 meses, uma equipe de estudantes recebendo orientações e dedicando-se a “aprender fazendo”, é capaz de desenvolver um MVP em que o maior objetivo é o aprendizado, com o desafio de gerar software de valor apto a entrar em produção a cada sprint.  O resultado é muito trabalho colaborativo, preparação para o mercado de trabalho, em um programa onde todos ganham.

O projeto em questão é a Aceleradora de Equipes Ágeis, parceria entre o CI do TecnoPUC e a DBServer, batizada pela DB como “Fábrica de Craques”. Os estudos iniciais são apenas para nivelamento nos primeiro sprints, dentre seis de um projeto de desenvolvimento ágil real. Um programa em que os estudantes recebem uma bolsa de estágio para aprender e mostrar seu potencial.

Neste contexto, importante salientar o conceito de mapa de CHA, que aprendi a alguns anos vendo o grande Paulo Caroli da TW em ação, técnica que adaptei e acoplei a meus projetos de imediato. Um artefato utilizado por equipes de qualquer tecnologia, onde auto-organizadamente escolhem quais tópicos merecem ser acompanhados, uma forma de destacar o processo de integração, passagem de conhecimentos, crescimento de cada um e do time.

Este post não é para falar sobre o projeto, sobre o conceito ampliado de Dojo Boshú ou sobre a prática de SCRUM como substrato, mas para demonstrar a relevância do CHAx5 feito no primeiro dia e mantido ao final das retrospectivas. Uma forma de enfatizar o auto-conhecimento e crescimento de cada um em meio a pair programming, peer review e boas práticas do SCRUM, Kanban e XP.

Na última edição, o jovem e talentoso Matheus Barbachan e Silva organizou uma lista de referência rápida sugeridas pela própria galera e pelo coaching técnico, para estudos durante o sprint zero, dedicado a aprendizado, simulações e dojos. O material foi organizado por todos, mas centralizado por ele (*).

(*) Mundo pequeno, o Matheus é neto de um grande amigo do meu pai, emérito professor na odonto da PUCRS, o Prof Barbachan, privilégio tê-lo conhecido. Recordar é viver, tenho com ele passagens muito queridas da minha infância, além de ter sido nosso dentista por quase duas décadas.

20150814_091828-p

Java: apostila java e orientação objetos
SVN: tutorial svn
JQuery: tutorial jquery
JQueryUI: learn jquery ui
Jboss: jboss – introduction
HTML5: html 5 introduction
CSS3: css 3 introdution
Spring MVC: apostila java web – spring mvc
Junit Unit Testing: tutorial JUnit
JPA: introdução a jpa – java persistence api
Hibernate: tutorial hibernate – introdução
SQL Server: tutorial para iniciantes em sql server
Tomcat: topicos java – tomcatinstalacao e configuracao do apache tomcat no eclipse e tutorial Apache Tomcat
Jenkins: integracao continua de projeto java com jenkins e tutorial Jenkins
TDD: Kent Beck – Test Driven Development by Example.pdftest driven development – best practices using java examplestest driven development tdd example walkthrough e getting started with test driven development.html

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s