Conceito de Ba Office – Uma sala é uma embarcação, precisa de marinheiros preparados para usá-la

O que muita gente chama de Open Space, não passam de Big Spaces. Por isso, a partir de hoje NÃO vou mais chamar Open Space de Open Space, porque este termo banalizou-se tanto que dificulta muito o debate. Proponho um termo relacionado ao Conceito de Ba de Nonaka e Konno, podendo ser algo como Conceito de Ba Office. Assim vamos discutir conceitos e não distorções \o/

Antes de mais nada, para facilitar a discussão, vou limitar ao contexto de trabalho de equipe para desenvolvimento de projetos de software, contando com equipes auto-organizadas e seguindo metodologias ágeis. Sei que vale para muitas outras áreas, mas estou falando do meu contexto-base, onde vemos o crescimento do método SCRUM, KANBAN, cultura LEAN, etc.

Por exemplo, 200 pessoas de uma empresa de desenvolvimento de software em um andar que pode ter ou centenas de baias em dezenas de ilhas fechadas, ou quatro salões para 50 pessoas em cada, com características abertas, com muito espaço comum e pouco espaço individual, com várias salas de reuniões de diferentes dimensões, salão para integração social, copa completa, recantos, …

Todos, de diretores à galera sentados junto a sua equipe, sem lugar cativo, podendo negociar uma reorganização tanto quanto as equipes e projetos precisem para terem melhor condição de iteração e produtividade, usando métodos ágeis. Interagi e interajo com dezenas destes espaços em diferentes empresas, startups, nacionais e multinacionais, postei sobre o Google e Walmart.com em SP.

Open Space x Conceito de Ba Offices

A culpa não é do conceito nem do termo, mas da simplificação de que Open Space é uma Sala Grande sem paredes ou divisórias, até mesmo porque se for isso, convenhamos, todas as indústrias do final do século XIX e início do XX já eram Open Spaces, pois eram grandes galpões lotados de máquinas e operários …

Para quem acredita que Open Space é sinônimo de Big Spaces, recomendo lerem sobre os estudos de Hawthorne realizados por Elton Mayo a partir de 1927, pois lá encontrarão ótimos argumentos contra espaços físicos grandes sem paredes ou divisórias, que NADA tem a ver com o Conceito de Ba Offices.

A razão singela do porque uma coisa não tem nada a ver com a outra é porque os Big Spaces são ESPAÇOS FÍSICOS, enquanto os Open Spaces seguem o Conceito de Ba de Nonaka e Konno. Já postei em 2013 sobre Ba, quem quiser ler o original do mítico Ikujiro Nonaka, clique aqui, que não por acaso é um dos pais do SCRUM com o lendário “The new new develop product game” o/

Podemos chamar de Ba cada espaço compartilhado para a geração de conhecimento, de forma consciente e organizada, desde que investido de um contexto visando o debate, a troca, o crescimento.

O fator chave de um Ba é o pré-requisito de possuir um substrato que possibilite e fomente o processo de compartilhamento e geração de conhecimento de forma consistente.

O Ba possui valor subjetivo, dependente dos atores que o constituem ou constroem, cabe a organização proporcionar as condições, incorporar estes valores em seu modelo mental e de seus integrantes.

Um conceito originário na filosofia de Nishida, proposto por Nonaka, um dos pais do SCRUM, que orienta que Ba não tem hierarquia, pois é orientado ao senso de pertença e protagonismo dos envolvidos.

Não vou entrar no mérito de valores das empresas que priorizam isso e geram Big Spaces ao invés do Conceito de Ba Offices, já diferenciaie no tópico acima. Estoques de gente, espremidos em pouco espaço, sob forte vigilância da chefia, … isso mais parece Tempos Modernos do Chaplin, nada a ver com este post, nem com agilidade, então só o que tenho a dizer é: Sinto muito, boa sorte!

Não é uma questão de economia, mas de modularidade, alguns acham que o motivo é não gastar nas baias, mas o Conceito de Ba Offices gasta em outros quesitos, em espaço, em ergonomia, aqui em POA estou em um dos espaços mais interessantes do Sul do país, no 5º andar do 99A do TecnoPUC. O fato de não ter paredes é um de muitos pontos, o investimento está nas pessoas, muito além do espaço adequado entre mesas, salas de reunião, recantos, método e processo.

Conclusão

Este post não é para convencer ninguém de nada, defenda suas convicções e sonho, afinal, a unanimidade é burra e aprendemos mais em debates que em consenso. Eu não vou mais chamar de Open Space os Open Space, a partir de agora Open Space são só “salas grandes sem paredes divisórias, com mesas, computadores e gente”.

Entretanto, o Conceito de Ba Offices são “salas grandes sem paredes divisórias, com mesas, computadores e gente” que trabalha com metodologias ágeis e tiram proveito do ambientes para praticar auto-organização e gestão do conhecimento. A essência do Conceito de Ba Offices não é a sala, mas tenho certeza que ajuda.

A partir de hoje só vou escrever e compartilhar coisas sobre o Conceito de Ba Offices, lugares tão amplos quanto colaborativos, que não dependem de um chefe,  mas da auto-organização, do pacto dos próprios times para tirarem o máximo proveito do amplo espaço que tem a disposição, pois depende deles para ser tão silencioso quanto divertido, produtivo e surpreendente … vem me visitar!

Open Space no mundo - 1

Open Space no mundo - 2

Open Space no mundo - 3


Foto Inovanews 2ª Ed 2012: Bruno Todeschini/PUCRS

Não gosta de bancadas, não consegue estabelecer acordos de boa convivência e acha que a única solução para isso é levantar biombos altos, tudo bem, boa sorte, mas eu não trabalho mais assim a pelo menos sete anos e não consigo nem imaginar voltar a trabalhar em baias, ilhas e paredes … não é uma legalzisse do Facebook, é práxis, uma questão de valorizar a interação e potencializar o espaço.

https://jorgekotickaudy.wordpress.com/2015/09/17/wallmart-com-mais-que-um-espaco-inspirador/

https://jorgekotickaudy.wordpress.com/2015/09/21/google-sp-inspirador-alem-da-conta/

Nos próximos posts vou falar sobre as defesas de teses mais comuns de quem não concorda com estes espaços, inclusive sobre pesquisas científicas que chegam a esta conclusão nefasta, com doenças psico-somáticas e por invasão de privacidade, pelo altíssimo som ambiente que atrapalha a concentração, entre outras. Mas isso fica para os próximos posts, quando aproveitarei para falar de estrutura organizacional, mindset das chefias e das equipes, direitos e deveres … breve! 🙂

2 comentários sobre “Conceito de Ba Office – Uma sala é uma embarcação, precisa de marinheiros preparados para usá-la

  1. Pingback: Um bizú geral sobre Gestão do Conhecimento | Jorge Horácio "Kotick" Audy

  2. Pingback: Acertos e erros em Open Spaces, com e sem o Conceito de Ba | Jorge Horácio "Kotick" Audy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s