Inovação precisa de coragem, persistência e muita cara-de-pau

Inovar e empreender exige manter uma eterna conexão com o mercado, tentando entendê-lo e atendê-lo, podemos ser reativos ou pró-ativo, procrastinar ou fazer o que deve ser feito, não por necessidade, mas por oportunidade, por antecipação e coragem, persistência e muita cara-de-pau!

O manual do empreendedor ou startupeiro diz que devemos ser:

Colaborativo é a essência dos princípios ágeis, sempre juntar participantes e interessados, pois MVP e iterações são inúteis sem validar se vamos no caminho certo, para isso aproximamos pessoas se entendendo permanentemente.

MVP (Minimum Viable Product), Mínimo Produto Viável é a estratégia usada para validar ideias, produtos e serviços com o mercado, técnica popularizada por Eric Ries. É preciso fracionar, entender valor, prioridade e validar cada passo.

Iterativo-incremental é o eixo de todos os métodos inspirados em Deming, expoente da cultura Lean da década de ’50. Precisamos validar em pequenos ciclos desde a ideação, no planejamento, na construção e no crescimento.

Mas, o substrato que viabiliza colaboração, MVP e iterações é composto por:

Coragem em não procrastinar, não deixar o tempo passar, é fazer acontecer o que está a nosso alcance a cada semana, é usar ativamente nosso networking, é ousar, não se justificar ou acomodar, é se divertir, fazer por prazer.

Persistência é adaptar-se as novas descobertas sobre o mercado, discutir e decidir a hora de adaptar-se ou insistir, pivotar ideias, métodos, técnicas ou produtos e serviços. Persistir é ser equilibrado, nem cabeça-dura nem leviano.

Ser cara-de-pau é uma premissa, pois quem tem vergonha, medo, transfere a responsabilidade ou se esconde terá dificuldades adicionais pelo distanciamento. Não fique resmungando, arregace as mangas, tente e tente novamente.

plano e execução

MVP (Mínimo Produto Viável)

Boas práticas de planejamento e execução são utilizadas para tudo, para sua carreira, para uma simples reunião, para um projeto, para um evento, para suas férias, … MVP é uma destas boas práticas.

Não importa se estamos falando de uma startup tecnológica, um serviço de entregas ou uma franquia de pipoca gourmet, devemos seguir um PDCL, pois a cada ciclo de 1 a 4 semanas é preciso ter um plano, executar, analisar e aprender.

Ciclos curtos de PDCL nos ajudam a estar atentos e relembrar nossa missão, valores, objetivos, impedem que eles sejam esquecidos tanto quanto se cristalizem. Não é algo excepcional, nem trabalhoso, é algo que precisamos internalizar e fazer naturalmente de forma prazerosa.

Quer esteja dando certo ou errado, lembrar dos ciclos de gestão do conhecimento conhecidos como exploration e exploitation – mesmo dando certo, devemos estar atentos a inovação, a oportunidades, ao próximo passo que nos diferencie da concorrência.

(Re)Planejamento colaborativo

Quem me acompanha já conhece de cor e salteado a técnica abaixo, é a que mais utilizo para planejamento, desde projetar iterações e entregas acadêmicas, como TCC e dissertações, também em startups de matriz tecnológica, mas também em iniciativas tradicionais.

A unidade de referência pode mudar, pode demandar uma tarde ou demorar alguns dias para alinhar uma projeção. Projetos de um ou dois anos seguimos a “Small Project Philosophy” do Standish, fragmentamos módulo, os priorizamos e planejamos um por vês, cada módulo sendo cliente e fornecedor de outros …

Não cai do céu, para planejar é preciso ter alguns dados e informações, frequentemente já fizemos em reuniões de brainstorming e levantamento técnicas como Business Model Canvas, Value Proposition, Empathy Canvas, Customer Journey Map, matriz CSD e/ou Project Model Canvas, etc

agile-scrum

A seguir compartilho algumas reflexões do Lean StartUp e seus seguidores:

. Devemos ter vergonha de nossa primeira versão, ela vai evoluir;
. Se o mercado esta dizendo não, mude algo (produto ou abordagem);
. Saia da sala (get out of the building), as respostas não estão lá dentro;
. Tecnologia é importante, mas as pessoas é que validam a direção;
. É preciso correr para obter resultados antes que o dinheiro acabe;
. Não seja arrogante, é preciso pesquisar, interagir, comunicar-se, …

Acima de tudo, lembre-se, você não está sozinho no mundo, ative seu networking, aquele que desenvolvemos em grupos de usuários, eventos, dojos, comunidades de prática e de conhecimento, cursos, etc. Você vai descobrir que a sua dúvida ou problema pode ser conhecida de outros e o caminho mais curto para o sucesso é antecipar soluções, é aprendizado vicário.

Comunique-se, aprenda, surpeenda, NOVOS erros são melhores que os MESMOS erros que os outros já cometeram \o/

Anúncios

10 Respostas para “Inovação precisa de coragem, persistência e muita cara-de-pau

  1. Bom post! Só não vejo o empreendedorismo como uma opção para nós, brasileiros. Com certeza é uma coisa muito legal, difícil e motivadora – e proporcionalmente recompensadora. Mas num país onde o empresário é o lobo mau, em que aquele que empreende é o bandido… Em países com economia liberal, sim, com certeza. Brasil? No, thanks, but no. 😦

    • Empreendedorismo em organizações tem o nome de capacidade absortiva, ciclo de exploitation e exploration de GC, inovação e empreendedorismo é para todo mundo. A globalização e concorrência não perdoam startups, p, m ou g … somos nós, é para todos 😉

      • Ah, bom, dentro de organizações é outro papo. Leia “O Futuro da Administração”, do Gary Hamel. Ele fala um pouco sobre isso, e é bem o que eu entendo: só vencendo a ligação emocional e baixando a guarda do raciocínio cartesiano sobre “no que investir” é que a empresa consegue avançar. No final, acaba sendo um ambiente viciado: as mesmas propostas, das mesmas pessoas, sempre ganham recursos, enquanto coisas desafiadoras e arriscadas, não.

        Quanto à globalização, não vejo mais sentido em pensar nela, a partir do Brasil. Estar aqui, neste país, é como largar com uma bola e corrente amarrada a um pé – mesmo que sejamos fodásticos, sempre vamos perder porque somos um país engenheirado para perder. 😉

      • Mas tchê, tu ta de férias rapaz, larga esse pessimismo 🙂

      • Meu cérebro, alas, nunca tira férias! 😀 Mas veja, eu não sou um cara pessimista. Encare a coisa como um alcólatra: enquanto não reconhecermos nossa doença, não podemos esperar pela cura. O brasileiro tem umas opiniões em comum que prejudicam o nosso país. Duas delas são especialmente nefastas: 1) O Estado precisa cuidar de tudo e 2) O empresário é um bandido. Podemos fazer o que for, podemos ralar o quanto for, mas sem encararmos de frente que 1) o Estado deve se meter o mínimo possível e deixar a Sociedade livre para tomar suas decisões e 2) o empresário merece ser tratado como herói, não vamos ver 1) melhora na qualidade de vida do país nem 2) crescimento econômico que traz riqueza a todos.

        Não gosto de dizer que vai dar errado, mas também não gosto de me enganar. 😉

  2. Assista o debate do Pondé no Jornal da Cultura de ontem (em Sampa, claro): http://tvcultura.com.br/videos/55034_jornal-da-cultura-26-07-2016.html (aproveite para ver o emocionante final do filme dos 50 anos do Dr. Who.) Somos o SEGUNDO PAÍS MAIS DIFÍCIL DE SE ADAPTAR NO MUNDO! Perdemos apenas para a China. 😉

  3. Destaque para fala do Pondé aos 9’48”: “quem sustenta grande parte da sociedade é o pequeno e médio empresário, e esse O ESTADO ARREBENTA, JOGA BUROCRACIA EM CIMA DELE(…)”. Entendeu que não é pessimismo, é factualismo? 😉

    • Concordo discordando, porque o blog é sobre Agile, mindset, é sobre Práxis e não política, sobre técnicas e processo, método e necessidades para fazer acontecer … meu ativismo não pode desmobilizar minha atuação aqui na DB ou como professor. Não posso esperar mudanças políticas para incentivar boas práticas e dezenas de jovens e nem tão jovens assim que querem empreender, muitos dando certo, outros não … meu papel aqui é sugerir redução de desperdício e foco em valor usando Lean, DT, Agile, … quer para planejamento de carreiras ou empreendedorismo … é isso o/

      • Verdade. Apenas quis aliviar a sensação de ser pessimista. Quis mostrar a origem do meu desencanto e acabei colocando coisa demais. Sorry. 😉

      • Tá na boa, vale sempre a interação, mas por focar em Agile, inovação e empreendedorismo, melhor ser zona livre de política para não perder o foco \o/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s