A meta é administrar a Zona de Conforto, não eliminá-las

Zona de conforto não é necessariamente algo do mal, nem uma doença, é um mecanismo que nosso inconsciente constrói para tentar evitar frequência demasiada de ansiedade ou angústia frente ao novo. Digo isto embasado na Teoria da Dissonância Cognitiva (Leon Festinger) e defesas psíquicas (Freud), pois quando o nosso consciente se sente pressionado, o inconsciente tenta mitigar.

O que questionamos é o risco de viver permanentemente em uma zona de conforto e não ver o tempo passar. Mas, pelo que sei, a construção de hábitos na vida pessoal ou trabalho são necessários, conforme estudos no campo da neurociência. Nosso cérebro entraria em colapso se tivesse que processar absolutamente tudo ao nosso redor, então ele trabalha de forma incremental, pelas mudanças, seletivo.

Por exemplo, distancie-se entre 30 e 40 centímetros da tela, feche o olho direito e olhe para o “+”, verá que esse enorme ponto desaparece, porque nosso corpo e cérebro tentam processar o mínimo de informações necessárias a cada momento. Por isso especialistas sugerem alterar hábitos, como estilo de roupas, itinerário, roteiros, sair do piloto automático nos faz ficarmos alertas e mais conscientes:

pontoex

Agile, pela força do coletivo

Uma premissa no Agile, Design Thinking, Lean Startup, cultura Lean, facilitamos pequenas inovações e empreendedorismo cotidiano na resolução de problemas. Ir além ao colaborarmos, questionar, checar hipóteses, validá-las, sair de fluxo (csikszentmihalyi), sair da Zona de Conforto. Sou aficcionado por Team Building Games e pequenas disrupções em nosso CHA pessoal.

Ideação, modelagem, planejamento, execução iterativo-incremental-articulada, este é nosso mundo em metodologias ágeis, usando colaboração permanente entre diferentes profissionais para ver o que não veríamos, fazer o que não faríamos. Sair frequentemente do piloto automático para antecipar riscos e oportunidades, nada é menos ágil que ficar fazendo mais do mesmo.

GC – Exploration e Exploitation do bem

A meta é administrar a Zona de Conforto, não eliminá-las! O campo da Gestão de Conhecimento nos oferece o conceito de Exploitation e Exploration. Não há nada de mal em aproveitar o que já sabemos, mas é preciso estar atento a melhorias, ao valor ainda desconhecido. Uma forma de potencializar os ganhos daquilo que está dominado, ao mesmo tempo que buscamos crescer, pessoal e profissionalmente.

exploration_exploitation

O equilíbrio entre exploitation e exploration é o segredo das grandes empresas, o mesmo vale para as pessoas, devemos ter um tanto de estabilidade em meio a disrupção. Viver entre o que já sabemos e o algo a mais que nos retire de nossa Zona de Conforto, que a cada passo, uma vez alterada jamais voltará a ser a mesma após experimentarmos novas vivências e aprendizados. A seguir características que nos ajudam a buscar este equilíbrio:

Sonhe – Não se acomode, não deixe de sonhar em ir além;
Autoconhecimento 
– Conheça sua vida pessoal e carreira;
Personalidade – Mude algo por si e não pelos outros;
Networking – Não se isole, mantenha parceiros de viagem;
Humildade – Saiba o que os outros pensam de você (Johari);
Empatia – Troque percepções e expectativas com seu entorno;
Compartilhe – Interagir sempre gera novos conhecimentos;
Coragem – Não tenha vergonha de fazer tudo isso, siga adiante.

 

Pense coletivo, equilibrando desenvolvimento pessoal e de seus grupos, distribuindo o esforço pela capacidade absortiva entre todos, potencializando interação e ganhos individuais, coletivos, organizacionais e ambientais:

compet-essenciais-3

Seja ágil, distribua momentos contínuos e frequentes de transpiração e inspiração, não para engessá-los, mas para garantir fluxo e não fluxo. Não por acaso o SCRUM é o método ágil mais utilizado no mundo:

scrum

Segundo a Wikipedia: “Na psicologia, zona de conforto é uma série de ações, pensamentos e/ou comportamentos que uma pessoa está acostumada a ter e que não geram medos, ansiedades ou riscos. Essa condição lhe dá um desempenho tão constante quanto limitado, é preciso operar fora da zona de conforto para realizar avanços em seu desempenho, chegando assim a uma nova zona de conforto.”

n2a03fig13

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s