Jogo das sombras

Ontem mesmo postei sobre o jogo Telefone Sem Fio, mas vou aproveitar para junto compartilhar um que discuti a mesma vibe sobre o valor do coletivo. Mais um jogo para discutir o que é capital intelectual, falar sobre o porque envolver todo o time e envolvidos desde o início e a cada duas semanas, é um daqueles jogos em que podemos traçar a melhor síntese possível dos princípios ágeis.

Um jogo que apliquei com lobinhos no escotismo, crianças de 7 a 10 anos, em eventos chamados de lâmparadas, quando colocamos um lampião no centro da sala, projetando sua luz em todas as direções, ao redor deste lampião colocamos diferentes objetos, de tamanhos e formatos diferentes e inusitados.

Em uma lâmparada, os lobinhos se organizam em um círculo ou círculos concêntricos ao redor de uma fonte luminosa, normalmente lampiões a gás ou elétricos, mas também podendo ser as brasas do que foi uma fogueira, o que chamamos de flor vermelha.

No jogo das sombras, os lobinhos dispostos em cada face do lampião conversam em grupos, desenhando ou declarando cada objeto que vêem sem se mover, tornando possível com o somatório dos diferentes pontos de vista entender e desenhar TODOS os objetos existentes.

pontos-de-vista

Eu simulo este mesmo jogo em equipes ágeis na forma de um WarmUp, sem o lampião ou fogueira, mas com um arranjo de objetos em uma mesa ao centro da sala, de forma que conforme a posição de cada um é possível ver parte do que está ali disposto, mas com a soma de relatos e debates é possível acertar todos eles.

Fundamentos

A alegoria da caverna proposta por Platão, reinterpretada em projetos de TI é cada um manter-se olhando apenas as sombras que lhe competem. Platão afirma que pessoas morando toda a sua vida em uma caverna, apenas com uma iluminação gerando projeções de diferentes sombras em seu teto e paredes, pensariam que a vida se resume a sua realidade e percepções. Se um deles dissesse que lá fora existem animais, plantas e todo um mundo a ser explorado, o taxariam de louco.

A imersão e colaboração entre todos os papéis e atores envolvidos em um projeto ágil é o que nos distancia de um clássico organograma e atuação de gerentes, especialistas e operários. No século XX cada profissional deveria cumprir as suas tarefas, independente de entender ou concordar com elas, o ônus desta abordagem na área de TI  é mais que conhecido (nas outras também, mas aqui falo de TI).

md-0000041581

Ao participar de um projeto, quanto mais cada um entender os porquês e valor de cada necessidade, bem como cada problema ou oportunidade que as gera, mais cada um poderá utilizar sua expertise e conhecimentos para agregar maior empatia, sinergia e resultados. O objetivo é fazer mais com menos, é fazer o dobro na metade do tempo, não em quantidade, mas em valor e efetividade.

Ponto de Vista

Agilidade é antecipar ao máximo a percepção de riscos e oportunidades, é aproveitar ao máximo o capital intelectual de todos os envolvidos, é saber a opinião de alguém o quanto antes, quer para aproveitar ou demovê-la, porque antecipar-se resume-se a hipóteses, argumentos, negociação e decisão. Todos podemos escolher se tomaremos melhores decisões sozinhos ou acompanhados.

pontos-de-vista

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s