17/01 – TTalks – felicidade e discriminação

O primeiro de três dias de eventos para falar de carreiras foi ao mesmo tempo reflexivo e provocativo, pois discutiu temas relevantes e complexos como a felicidade no trabalho, a idealização ou não do que é trabalho e do que é felicidade, a abordagem histórica e em mudança do que é geração (babyboomers, X, Y, Z), a mulher na TI e toda a carga cultural de preconceitos e estereótipos.

FAZER O QUE AMA OU AMAR O QUE FAZ

Kellen Munhoz – https://www.linkedin.com/in/kellenmunhoz

O primeiro dia de Happy-Hour de carreiras 2017 iniciou no deck superior do Canal Café com a Kellen Munhoz falando de conceitos sobre trabalho, felicidade, satisfação, sem esquecer de pitadas sobre cultura e os estigmas de “geração”. Um bate-papo inicialmente pensado para ser uma lightning talk e que valeu mais de uma hora de interação entre todos.

O fundo de cena é choque de gerações, mas a discussão foi além e mais ampla que esse tema. Abaixo uma foto para registro e o vídeo criado durante a transmissão desta primeira parte, que contou com muitas contribuições debates e opiniões. Entre os participantes, muitas pessoas queridas, colegas de DB, alunos de FACIN, parceiros de viagem e, é claro, TecnoTalkers de carteirinha.

16114644_1365288260190787_6803561467070177400_n

A MULHER EM CARREIRAS DE TI

Letícia Silva Garcia – https://www.linkedin.com/in/letícia-silva-garcia
Lúcia Giraffa – https://www.linkedin.com/in/lúcia-giraffa
Vivian Pedó – https://www.linkedin.com/in/vivian-pedó

A segunda parte foi mais pegada, muita conceituação, percepções históricas e um storytelling sobre os últimos 40 anos de TI pela professora Lúcia Giraffa, especialmente sobre o enfoque de participação da mulher na TI. Mas, um assunto tão amplo e profundo, em termos de cultura, preconceitos e estereótipos, n~]ao há conclusões, são muito ricos em reflexões. A Letícia Garcia propôs a alternativa de que cada um ali deveria ser exemplo da mudança frente a um paradigma construído em menos de 40 anos e que por isso ainda possível de ser revertido.

Minha opinião eu postei no dia seguinte na minha timeline, por mais exemplos que tenhamos e sejamos, a solução está dentro de casa, na conscientização de pais e mães para a não rotulação e indução aos estereótipos cor de rosas e azuis, de bonecas e carrinhos, de fragilidade e força, sempre em opostos, perpetuando preconceitos e injeção de sonhos de geração em geração.

ttalks-carreira-jan-2017

Anúncios

3 Respostas para “17/01 – TTalks – felicidade e discriminação

  1. Pingback: 19/01 – TTalks – Planejamento de Carreiras | Jorge Horácio "Kotick" Audy

  2. Pingback: 18/01 – TTalks – Networking e Soft Skills | Jorge Horácio "Kotick" Audy

  3. Pingback: Resumo de quatro anos e meio de TecnoTalks | Jorge Horácio "Kotick" Audy

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s